Informações sobre Contabilidade, Atuária, Economia e Finanças.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Bill Gates pede mais Baixas Contábeis na Petrobrás


A Petrobras pode ser obrigada a fazer uma baixa contábil adicional de até US$ 14 bilhões em seus ativos, representando o custo da inflação aplicado aos contratos firmados com o cartel de empreiteiras da Lava-Jato entre 2004 e 2012, afirmou o processo movido pela Fundação Bill & Melinda Gates e pelo fundo de investimentos WGI Emerging Markets contra a Petrobras nos Estados Unidos.

A Petrobras fez uma baixa contábil de aproximadamente US$ 2,5 bilhões no seu balanço de 2014, correspondendo à aplicação do percentual de 3% aos US$ 81,4 bilhões em contratos com o cartel de empreiteiras descoberto pela Lava-Jato entre 2004 e abril de 2012.

O percentual utilizado foi indicado pelos delatores do esquema nos depoimentos prestados às autoridades. Segundo o processo, porém, o valor dos ativos da Petrobras ainda está inflado e a companhia deve ser forçada a fazer novos ajustes. Isso porque a baixa contábil feita no balanço de 2014 não aplicou o custo da inflação no período à baixa contábil feita no balanço de 2014 não aplicou o custo da inflação no período à baixa contábil, de 17%. Dessa forma, defendem que seja feita uma nova baixa, representando a aplicação dos 17% aos US$ 81,4 bilhões dos contratos.

A ação ajuizada ontem (24/09/2015), quinta-feiram à noite contra a Petrobras pela fundação e pelo fundo de investimentos é o 16º processo individual contra a estatal nos Estados Unidos. Os processos correm no mesmo tribunal da ação coletiva, que também busca ressarcir perdas com ações da Petrobras. A estatal é acusada de violar as leis do mercado de capitais dos Estados Unidos, devido aos esquemas de corrupção que inflaram os valores dos ativos.

Além da Petrobras, a auditoria Pricewaterhouse (PwC) também está sendo processada por não ter identificado os erros nos balanços da companhia até o ano passado.

Fonte: Valor Econômico.

Continue lendo >>

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Pesquisa e Publicação Científica na Graduação


Demorei mas postei!

Este é o material utilizado no minicurso sobre Pesquisa e Publicação Científica na Graduação, que ministrei na última terça-feira no evento de comemoração dos 55 Anos do Curso de Ciências Contábeis da UFPB. Clique no link abaixo para fazer o download do material.


Espero que possa ser útil em suas próximas pesquisas.

Att,

Orleans Martins.

Continue lendo >>

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Rating de Crédito e Governança Corporativa no Brasil


Com o recente corte da nota de crédito (rating) do Brasil (e de empresas brasileiras) pela Standard and Poor's, veio à tona do cidadão brasileiro uma enxurrada de discussões acerca das agências de avaliação de risco e de ratings de empresas e países.

Tempestivamente, realizei há alguns anos um estudo com um aluno do mestrado em Administração sobre a relação desses ratings de crédito e a governança corporativa no Brasil, o qual foi recentemente publicado no último número da Revista de Gestão da USP (REGE). Abaixo exponho seu resumo e endereço para o artigo completo.

RATING DE CRÉDITO, GOVERNANÇA CORPORATIVA E DESEMPENHO DAS EMPRESAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

Lucyan Hendyo Max Pereira
Orleans Silva Martins

RESUMO
Este trabalho buscou analisar os efeitos das práticas de governança corporativa sobre o rating de crédito atribuído pela Moody’s às empresas abertas, não financeiras, com ações negociadas na BM&FBOVESPA no período de 2008 a 2012. A análise se apoiou nos fundamentos teóricos abordados pela Teoria da Agência (JENSEN; MECKLING, 1976), sobretudo no que diz respeito aos mecanismos de transparência e qualidade dos ativos que, como consequência, podem afetar os indicadores de desempenho e credibilidade das firmas (LARKER; TAYAN, 2011; BAKER; ANDERSON, 2010). Para atingir os objetivos de pesquisa foram utilizadas regressões do tipo Probit ordenado, tendo como variável dependente o rating de crédito das empresas e como variáveis independentes seus indicadores de governança corporativa e desempenho. Dentre os principais resultados, foi possível observar que houve uma relação positiva e significante do rating de crédito com os níveis de governança corporativa e o retorno sobre o ativo. Adicionalmente, verificou-se relação negativa entre o rating e a alavancagem das firmas. Constatou-se, ademais, que durante o apogeu da crise financeira de 2008 as empresas situadas em níveis mais elevados de governança apresentaram desempenho financeiro superior àquelas situadas em níveis mais baixos. Dentre as principais contribuições do trabalho, destacam-se a ratificação das evidências existentes de que há efeito positivo da governança corporativa sobre os ratings atribuídos pela Moody’s, o que sugere que o nível de governança deve ser considerado nas análises de crédito, bem como as evidências de que melhores níveis de governança repercutiram de maneira positiva no desempenho das empresas durante uma crise financeira.
Palavras-chave: Risco; Gestão; Credibilidade.

Artigo completo: AQUI.

Continue lendo >>

Curso de Ciências Contábeis da UFPB é 4 Estrelas


Pelo segundo ano consecutivo o curso de graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) é avaliado como 4 estrelas (de um máximo de 5) pelo Guia Estudante de melhores universidade do Brasil.

Parabéns a todos que fazem o curso e vamos rumo às 5 estrelas!

Continue lendo >>

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Dependência da Forma do Profissional Contábil no Brasil



O "frame dependence" é um fenômeno conhecido como "dependência da forma", que tem sido estudada há algum tempo em finanças comportamentais. Na contabilidade brasileira não se verifica estudos que analisem este fenômeno. Com a recente convergência às normas internacionais de contabilidade (IFRS), os contadores no Brasil passaram a ter maior grau de julgamento sobre as operações da contabilidade e, consequentemente, estarem mais expostos à forma como as operações lhes são apresentadas, para posterior contabilização.

Nesse sentido, desenvolvi junto com a Profa. Dr. Diana Vaz de Lima (UnB) e o Prof. Dr. José Dionísio Gomes da Silva (UFRN) um estudo intitulado "Frame Dependence no comportamento do profissional contábil face à adoção dos novos padrões contábeis internacionais" que foi recentemente publicado pela revista Enfoque: Reflexão Contábil, em seu volune 34, número 2. Abaixo destaco o resumo e o link para o artigo completo.

Frame Dependence no comportamento do profissional contábil face à adoção dos novos padrões contábeis internacionais

Resumo
Este estudo teve o objetivo de analisar o comportamento do profissional contábil sob o ponto de vista da frame dependence, frente ao processo de adoção dos novos padrões contábeis internacionais. Com base na Teoria do Prospecto, que explica os vieses cognitivos e heurísticos do processo de tomada de decisão de acordo com a forma como um problema é apresentado, o que se convencionou chamar de frame dependence, foi analisado o processo de tomada de decisão de 489 profissionais contábeis registrados nos Conselhos Regionais de Contabilidade do Distrito Federal, da Paraíba e do Rio Grande do Norte, no período de 20 de maio a 06 de junho de 2011, no que se refere à convergência aos padrões internacionais de Contabilidade. Seus resultados indicam que não houve indícios de dependência da forma em três dos quatro princípios da frame dependence, que são a aversão à perda, a aversão ao arrependimento e a ilusão monetária. Por outro lado, os respondentes apresentaram dependência da forma em relação ao princípio da mental accounting. Ainda, como principais contribuições deste estudo, notou-se que os profissionais mais jovens são mais independentes, que os Técnicos em Contabilidade são mais dependentes que os Contadores e que o gênero não influenciou nessa relação de dependência.

Palavras-chave: Contabilidade Comportamental. Dependência da Forma. Contador.

Artigo completo: AQUI.

Continue lendo >>

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Vagas para Mestrado e Doutorado em Contabilidade



Já estão disponíveis os Editais do Processo Seletivo 2016 do PPGCC/UFPB para os seus cursos de Mestrado Acadêmico e de Doutorado. 

As inscrições estarão abertas entre 02/10 e 16/10/2015. 

Estão sendo oferecidas até 16 (dezesseis) vagas para o Mestrado e até 9 (nove) vagas para o Doutorado. 

Mais informações podem ser obtidas nos Editais, que estão disponíveis no site do PPGCC (aqui), na aba Processo Seletivo/2016, ou na Secretaria do Programa.

Continue lendo >>

Novo Número da RECFin (v. 3, n. 2, 2015)


A RECFin acaba de publicar seu último número, o segundo de 2015. A seguir são listados os artigos desse número, e todos os artigos podem ser acessados aqui.

v. 3, n. 2 (2015)
Sumário
--------
Editorial (1-3)
Orleans Silva Martins
Seção Nacional
--------
Relação entre Níveis de Governança, Política de Dividendos, Endividamento e Valor das Empresas Brasileiras (4-26)
Vagner Antônio Marques, Rosilaine Francisca Campos Alves, Hudson Fernandes Amaral, Antônio Artur de Souza

Divulgação de Informações por meio da Internet: Serão as Redes Sociais Capazes de Reduzir a Assimetria Informacional entre Empresas e Investidores? (27-41)
Marcelo Paulo de Arruda, Raíssa Aglé Moura de Sousa, Luiz Felipe de Araújo Pontes Girão, Edilson Paulo

Um Estudo sobre a Governança Corporativa e o Nível de Atendimento aos Critérios de Evidenciação do Ajuste a Valor Presente em Empresas de Construção e Transporte (42-59)
Juliana Gonçalves de Araújo, Rodrigo Vicente dos Prazeres, João Gabriel Nascimento de Araújo, Umbelina Cravo Teixeira Lagioia, Mayke Douglas Xavier de Lima

Evidenciação das Informações Ambientais das Empresas do Setor de Energia Elétrica do Brasil (60-72)
José Ribamar Marques de Carvalho, Janayna Rodrigues de Morais Luz, Francineide Eleotério Pereira

Controladoria no Setor Público: Uma Comparação entre as Leis de Criação em Quatro dos Maiores Municípios de Rondônia e a Literatura (73-87)
Nelcilene dos Reis da Silva, Alexandre de Freitas Carneiro, Elder Gomes Ramos

Proposta de um Mapa Estratégico para uma Universidade Pública (88-103)
Vinicius Abilio Martins

Continue lendo >>

Indicadores de Câmbio

Indicadores de Juros

Indicadores de Inflação

Siga este Blog

Siga este Blog no Google+

Número de Visitas

Indique Este Blog

CLIQUE AQUI!
Orleans Silva Martins. Tecnologia do Blogger.